Márcio Moraes
"no leito solidário de uma floresta altiva descansem por favor a minha poesia"
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Bodas de perfume
 
para meu perfume em flor
Micaele, todo o meu amor
 
É aroma doce sempre quando tocamos os lábios. Sinestésica comunhão que nos abraça a cada dia. Paladares que nos agregam gostos que nos alimentam em experiências gustativas. Pairando em nosso jardim o sabor da amora e da jabuticaba, com um toque tempero de cebolinha com manjericão. Sem falar dos longos cabelos que agora temos irmanados. Cuidado delicado das madeixas pretas que enlaçamos na cama do gozo e do sono. Sim, de perfume é feito nosso enlace e de doçura o amor que nos enlaça.

Iniciamos este ano na estrada, lugar de nunca pouso que escolhemos para ser nossa estada. Seguindo sempre sobre as rodas-duas de nossa Poderosa, companheira de sempre companhia. Nosso primeiro voo de ano novo em Zeppelin, nas alturas entoadas por um rock madruga no polo da moda mineira. Nas terras paulistas de Campos do Jordão, agregamos mais doces e perfumes em nossa cesta matrimonial. Na terra lobatiana, o pica-pau do sítio nos saúda com sua trupe, levando-nos à história que se mantém na memória-criança que sempre se agita em nós. E vem a bênção da Senhora Aparecida em seu santuário que nos recobra o ânimo. Vislumbre da fé deste povo que somos, nós brasileiros, marcados por marcas passadas e presentes que correm na vida embrulhando tudo, assim esquentando e esfriando, apertando e afrouxando, sossegando e desinquietando; mas o que quer da gente mesmo é coragem-rosa. E terminamos nossa travessia-janeira no encanto barroco de São João.

A nossa rotina professoral começa e vai seguindo o ritmo das letras que vamos lendo nas páginas impressas dos livros e nas faces humanas de nossos pupilos. A literatura que nos faz ser cada vez mais um-o-outro único ser. E, para ampliar esta arte-palavra que já nos acompanha, escolhemos as artes visuais que nos concentraram ainda mais. E unindo a beleza da pintura e da escultura à aventura que sempre buscamos, fomos aos horizontes belos mineiros nos avaliar. E claro a rota-choperia da qual tanto gostamos sempre assinalada no trajeto-uber que nos permite ir-vir com muito pinguim no corpo. Mas outra aragem é percebida, é mais próximo fica o Claretiano, bem ali nas terras diamantinas. E para lá fomos com a família levar Colares e Marinetti para o ENCIC. Quem nos acompanhou desta vez foi a pequena Audrey, luzente em sua alvura, enfrentando as pedras calçadas de uma cidade histórica. Pequena guerreira que se mostrou grande como a Poderosa. Esta gigante que lá também nos levou sob águas que nos ensoparam numa viagem doidice de tempo que encaramos. Assim somos, apenas nós dois, em nossos devaneios.

Mas que dó, meu amor, sua vozinha ranhando a garganta. Momento de cuidar desse bem que nos sustenta. E assim a tia Micas deixa seus pupilos na saudade do retorno, que só marcado está para o próximo ano. E o carinho se assoma, e presentinhos caem no colo. Apesar de tudo na educação, há educandos que são mais que alunos, crias mais que criadas pela família; e são estes que nos queimam a lenha do prosseguir. Como os carinhosos tiradentinos que nos encenam em feijão delicioso com direito a “mini-eu”.

Assim, meu amor, chegamos ao dezembro-quinze que há seis anos firmamos juntos a união mais bela e certeira. Diante de nós, um ano que se abrirá, repleto de “não sei não” do que virá. Que rolem as pedras, mas que brotem as flores; e que nos deem as ovelhinhas finas lãs para nos aquecer de amor neste sétimo ano que começamos.

 
Seu Márcio
15 de dezembro de 2018.
Márcio Adriano Moraes
Enviado por Márcio Adriano Moraes em 15/12/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (você deve citar a autoria de Márcio Adriano Moraes e o site www.marcioadrianomoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Ler-se(r) R$25,00 Rosarium R$10,00 Trovaecia R$20,00
assim alado R$20,00 Enlace R$10,00 Via Crucis R$20,00
Genuíno R$20,00 A palavra-vida de um corpo quedo: uma leitura... R$15,00 O verbo mulher R$20,00
A palavra drama na cor(a)som do infante R$20,00 Ceifando vidas e semeando letras R$15,00 Passaportes: viagens guiadas por Lygia Fagund... R$15,00
O humano insano e as palavras do infante em G... R$15,00 A cor do subúrbio em Clara dos Anjos R$15,00 A cor negra da canção dos anjos R$15,00
Estudo Sólido de Literatura R$15,00 Gêneros Textuais: no cotidiano, no vestibular R$25,00 Crepúsculo de arame R$25,00
Vende-se amor R$25,00 Apenas rascunhos R$35,00 29º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético R$10,00
Os 50 melhores Sonetos do 7º Festival de Sone... R$10,00 5º Prêmio Literário de Poesia Portal Amigos d... R$10,00 XVII Prêmio PMMG de Poesia 2015 R$10,00
Antologia Jubileu de Ouro da Unimontes: prosa... R$10,00 Antologia Psiu Poético 2010: cinepoesia R$10,00 Antologia do 21º Psiu Poético: montesclarosci... R$10,00
Antologia do 23º Psiu Poético: a invenção dos... R$10,00 Poetas de uma só Língua R$10,00 A Deusa das Letras: Centenário de Nascimento ... R$10,00
Psiu Poético + 25: 26º Salão Nacional de Poes... R$10,00 Psiu Poético 25: 01 Quarto de Século do Salão... R$10,00 De todas as cores: 24º Salão Nacional de Poes... R$10,00
Poetas En/Cena 5: uma reunião de poemas de po... R$10,00 Poetas En/Cena 4: uma reunião de poemas de po... R$10,00 Poetas En/Cena 3: Reunião de poemas de poetas... R$10,00
Poetas de todos os cantos II R$10,00 Poetas de todos os cantos I R$10,00