× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Márcio Moraes
no leito solidário de uma floresta altiva descansem por favor a minha poesia
Textos
Soneto premiado no 38º Concurso Literário da Universidade de Sorocaba - UNISO (2019)
Colocação: menção honrosa
Sorocaba - São Paulo



Nada Vale

Se a história eternizou Minas Gerais
Como o centro do minério de ferro,
Barragens de rejeito é o tom severo
Que reverbera o grito de muitos ais!

Ó lama da jusante, por que vais
Reduzir natureza e seres a zero...
Trabalho socorrista com esmero,
O medo de tragédia uma mais!

As brumas matinais se escureceram,
Oiticica em silêncio em Inhotim,
O mundo vê de pessoas o fim,

Piedade de Paraopeba esperam.
Mariana, Brumadinho... que se pare
Toda essa tristeza, pois nada Vale!
Márcio Adriano Moraes
Enviado por Márcio Adriano Moraes em 03/02/2019
Alterado em 09/09/2019
Comentários