× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Márcio Moraes
no leito solidário de uma floresta altiva descansem por favor a minha poesia
Textos
Título:
As flores do mal em Cruz e Sousa
Autor:
Márcio Adriano Moraes
Descrição:
Considerado o introdutor do Simbolismo brasileiro, o poeta João da Cruz e Sousa possui em suas obras Faróis e Broquéis quatro poemas que trazem no título a palavra flor: “Flor do mar”, “A flor do diabo”, “Flores da lua” e “Flor perigosa”. Tais poemas lembram a obra de Charles Baudelaire, As Flores do Mal, não só no nome, mas também na temática. Os versos de Cruz e Sousa apresentam imagens obscuras da noite, da morte, do tédio, do temor, semelhante à poética de Baudelaire. A constância da cor branca nos versos do simbolista brasileiro surge para criar uma relação antitética com a cor escura de sua pele. A lua, apesar de iluminada pelo sol, terá o seu próprio brilho, sua brancura imortal na poética sousiana. Assim, este artigo apresentará a voz e o clamor da mística da escuridão nas flores do mal de Cruz e Sousa. Palavras-chave: branco(a), flor, mística, morte, noite.
Enviado em:
13/05/2013
Alterado em:
20/12/2013
Formato:
pdf
Tamanho:
116 KB
Comentários