Márcio Moraes
"no leito solidário de uma floresta altiva descansem por favor a minha poesia"
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
18/12/2015 19h22
Obra de poeta norte-mineiro é indicada para o vestibular do IF

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) encontra-se com edital aberto para o primeiro vestibular de 2016, visando promover a seleção de candidatos a diversos cursos de nível superior. A coletânea de poemas intitulada “Crepúsculo de arame” (Orobó Edições), do escritor norte-mineiro Antônio Wagner Rocha, consta entre as três obras indicadas para realização das provas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira. As outras obras são “Poema sujo”, de Ferreira Gullar, e “Niketche”, de Paulina Chiziane.

“Crepúsculo de arame” é dividida em duas seções, sendo que a primeira seção reúne poemas produzidos nos últimos dez anos, e a segunda apresenta uma seleção de poemas do livro “Lápis lapso”, publicado pelo autor em 1998. Além disso, a obra traz também dois estudos críticos realizados em torno do seu conteúdo. O primeiro, intitulado “Depois da Queda”, é de autoria do professor Anelito de Oliveira, doutor em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e também editor da obra. O outro estudo, “Escritura Dilatada”, tem como autor Alexander Nassau, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Inserido no contexto da literatura brasileira contemporânea, “Crepúsculo de arame”, segundo a análise de Anelito de Oliveira, é um livro em que “a questão do poeta – aquilo que ele acabou por converter em sua questão ao longo da vida – não é apenas estética, portanto, mas humana”. Alexander Nassau, por sua vez, refere-se a esta poesia como “um salto no abismo do existir”. Desta forma, os estudos críticos desses dois teóricos fornecem elementos indispensáveis para que os candidatos ao vestibular do IFNMG possam desenvolver uma compreensão mais ampla da obra. O que se observa, através dos versos, entre outros aspectos, é uma poesia marcada por um vigor pensante: “Desertar as ideias insones, o que ficou guardado/no avesso da noite, o que se mutilou/na lógica dos espelhos: cratera onde nasce/o mundo” (fragmento do poema “Engenho errante”).

De acordo com o conteúdo programático do processo seletivo caberá aos vestibulandos articular os conhecimentos e conceitos fundamentais dos movimentos literários com as obras indicadas. As provas serão realizadas no dia 10 de janeiro de 2016 nas cidades de Almenara, Araçuaí, Arinos, Montes Claros e Salinas. O IFNMG, ao propor o livro de Wagner Rocha para o vestibular contribui para a valorização da produção poética norte-mineira. “Crepúsculo de arame” está disponível na Livraria Nobel (Montes Claros Shopping Center) e na Palimontes (Montes Claros Shopping Center e Rua Cel. Joaquim Costa – Centro).*

"Crepúsculo de arame" também está disponível em nossa Vitrine Literária. Receba em casa, adquira agora: Comprar!

 

* Fonte: http://www.jnnoticias.com/artigos/detalhes/45490/obra-de-poeta-norte-mineiro-e-indicada-para-o-vestibular-do-if

 

 


Publicado por Márcio Adriano Moraes em 18/12/2015 às 19h22
 
14/12/2015 19h02
Colégio Sólido Pré-Vestibular - Cursos 2016

Extensivo Alfa

  • Início em 25/01/2016 e término em 23/10/2016.
  • Estudo de todo o conteúdo voltado para o Enem. Atende também aos vestibulares de Verão.
  • Ideal para os alunos que acabaram de concluir o Ensino Médio.
  • Aulas distribuídas, majoritariamente, no período matutino de segunda a sexta das 7h10 às 12h30 e aulas complementares às terças e quintas à tarde das 14h às 18h10.
  • Plantões de exercícios embutidos na carga horária.
  • Atenção: Não haverá aulas aos sábados, domingos ou feriados.
  • Simulados sem custo adicional.
  • Simulados, Acesso à Casa do Aluno Sólido, Atendimento Psicológico e Monitorias.
  • O valor da matrícula inclui uma camiseta do Sólido Pré-Vestibular.
  • Seguro aprovação: O aluno que frequentar 100% das aulas, participar de todos os simulados e obtiver desempenho mínimo de 70% em cada um deles, caso não seja aprovado em nenhum vestibular até 27/01/2017, será bolsista do Sólido Pré-vestibular a partir de 2017.


Assista vídeo explicativo com mais informações sobre o curso clicando aqui.

Local do curso: Sólido Pré-Vestibular (Ibituruna Center Shopping - Bloco C - 3° andar)

Central de Matrículas: Unidade Avenida (Av. Deputado Esteves Rodrigues, 949)
Telefone: (38) 3222-4580

 

 

Intensivo Smart Plus

  • Início em 25/01/2016 e término em 03/06/2016.
  • Direcionado ao aluno que prioriza Medicina na Funorte ou FiP-Moc.
  • Aulas teóricas distribuídas, majoritariamente, no período matutino de segunda a sábado das 7h10 às 12h30.
  • Plantões de Exercícios de Português, Física, Matemática, Geografia, História, Biologia e Química aos sábados à tarde das 14h às 18h.
  • Simulados, Monitorias e acesso à Casa do Aluno.
  • O aluno realizará dois Simulados ao custo de R$ 20,00 cada.
  • O valor da matrícula inclui uma camiseta do Sólido Pré-Vestibular.


Assista vídeo explicativo com mais informações sobre o curso clicando aqui.

Local do curso: Sólido Pré-Vestibular (Ibituruna Center Shopping - Bloco C - 3° andar)

Central de Matrículas: Unidade Avenida (Av. Deputado Esteves Rodrigues, 949)
Telefone: (38) 3222-4580

 

 

Intensivo Smart Matutino

  • Início em 25/01/2016 e término em 01/07/2016.
  • Estudo de todo o conteúdo voltado para os vestibulares de Inverno.
  • Ideal para alunos que vão prestar outros vestibulares além dos de Montes Claros.
  • Aulas teóricas distribuídas, majoritariamente, no período matutino de segunda a sábado das 7h10 às 12h30.
  • Plantões de Exercícios de Português, Física, Matemática, Geografia, História, Biologia e Química aos sábados à tarde das 14h às 18h.
  • Simulados, Monitorias e acesso à Casa do Aluno.
  • O aluno realizará três Simulados ao custo de R$ 20,00 cada.
  • O valor da matrícula inclui uma camiseta do Sólido Pré-Vestibular.


Assista vídeo explicativo com mais informações sobre o curso clicando aqui.

Local do curso: Sólido Pré-Vestibular (Ibituruna Center Shopping - Bloco C - 3° andar)

Central de Matrículas: Unidade Avenida (Av. Deputado Esteves Rodrigues, 949)
Telefone: (38) 3222-4580

 

 

Intensivo Smart Vespertino

  • Início em 25/01/2016 e término em 03/06/2016.
  • Intensivo completo a baixo custo.
  • Aulas teóricas distribuídas, majoritariamente, no período vespertino de segunda a sexta das 13h10 às 18h10 e aos sábados das 7h10 às 12h30.
  •  Plantões de Exercícios de Português, Física, Matemática, Geografia, História, Biologia e Química aos sábados à tarde das 14h às 18h.
  • Simulados, Monitorias e acesso à Casa do Aluno.
  • O aluno realizará dois Simulados ao custo de R$ 20,00 cada.
  • O valor da matrícula inclui uma camiseta do Sólido Pré-Vestibular.


Assista vídeo explicativo com mais informações sobre o curso clicando aqui.

Local do curso: Sólido Pré-Vestibular (Ibituruna Center Shopping - Bloco C - 3° andar)

Central de Matrículas: Unidade Avenida (Av. Deputado Esteves Rodrigues, 949)
Telefone: (38) 3222-4580


Publicado por Márcio Adriano Moraes em 14/12/2015 às 19h02
 
30/11/2015 16h34
Resgate da Alegria Natal sem Fome 2015

 

CLASSE CULTURAL MONTES CLARENSE FAZ ESPETÁCULO BENEFICENTE RESGATE DA ALEGRIA – NATAL SEM FOME


O Grupo de Literatura e Teatro Transa Poética, está promovendo a campanha  solidária Resgate da Alegria - Natal Sem Fome, e deseja com ela (como fazem há 24 anos consecutivos), propiciar há algumas famílias que moram em zonas carentes de Montes Claros, um Natal e uma ceia um pouco menos tristes, quando as pessoas poderão alimentar-se melhor, as crianças poderão brincar, e sonhar com um futuro menos desigual.

Cidadãos e empresas que se manifestarem através da ajuda humanitária, estarão auxiliando o Grupo  - também responsável pelo Salão Nacional de Poesia Psiu Poético - a concretizar essa ação solidária.

Serão atendidas as famílias que moram na periferia da nossa cidade, que já tem dificuldades no decorrer de todo ano. E que no final  do ano tem seus problemas ampliados.

As pessoas e entidades que queiram ajudar poderão encaminhar brinquedos, alimentos, agasalhos e demais donativos, de 8 as 22 horas ao Centro Cultural Dr. Hermes de Paula.

Resgate da Alegria - Natal sem Fome conta com parcerias da Classe Cultural, Prefeitura de Montes Claros, Unimontes, Centro Cultural Hermes de Paula, Igrejas, Escolas, Imprensa,  Fundação Cultural Genival Tourinho e execução do Grupo de Literatura e Teatro Transa Poética.

Encerrando a campanha solidária, haverá o espetáculo Resgate da Alegria – Natal Sem Fome, no auditório do Centro Cultural Hermes de Paula, dia 22 de dezembro a partir das 20:30h, onde os ingressos também serão  alimentos, agasalhos e brinquedos. Participarão do espetáculo os seguintes artistas: Pedro Boi, Grupo de Literatura & Teatro Transa Poética,   Élcio Lucas, Alice Melo Lopes , Karla Celene Campos, Tripulação de Veneta, Marcim da Gaita & Cibele Santana ,Marlene Bandeira, Renilson Durães, Ajax Domiciano, Sandra Fonseca, Wagner Rocha, Albino José dos Santos, Giovanne  Sassá(Tambolêlê), Gabriel Lopo, Isabel Lôpo, Josecé Santos,  Gabrielle Cordeiro, Elza Cohen, Felipe, Pereira, Bárbara Pereira, Augusto Gonzaga, Mirna Mendes, Bob Marcilio, Marina Couto, Bob Silva, Banda Fora da Rotta, André Águia, André Assis, Joel das Flores, Marcelo de Paula, Márcio Adriano Moraes, Marina Couto & Ricardo senne.


Publicado por Márcio Adriano Moraes em 30/11/2015 às 16h34
 
23/11/2015 16h49
PAES 1ª ETAPA/2015 - Questões com Gabarito Comentado

PAES 1ª ETAPA – 2015 
Prova: 22 de novembro de 2015
Questões com Gabarito Comentado

Leia o poema A primeira missa, de Cassiano Ricardo, para responder às questões 11 e 12.

No quadro agreste da alvorada
o capelão da armada
começou a dizer uma coisa sem fim.

E vieram os papagaios
solenizados nos seus fraques verdes
ouvir aquela fala resmungada
que parecia um cântico de alvorada
dito em latim.

Terra papagalorum
Stella matutina...
O capelão falava assim.

A madrugada de trança amarela
paramentou-se atrás do morro
com o seu lençol feito de bruma
e veio a correr pelos campos
trazendo ainda no cabelo
uma porção de pirilampos;
o rio listado de espuma
com a barba branca da cachoeira
resmungou qualquer coisa profunda
num socavão da cordilheira.

Depois que acabou a missa
mulheres nuas e homens nus
saíram por ínvios barrancos
levando o sinal da cruz.
(A tarde vestida de roxo
tocou a flauta de um sabiá
dentro da solidão)
E quanto ao mais, foi assim:
os papagaios palradores
voltaram todos ao sertão
dizendo coisas em latim...

QUESTÃO 11
Todas as alternativas abaixo contêm leituras possíveis do poema, EXCETO
A) O tom solene do poema é coerente com o sentido de missa enquanto uma cerimônia eucarística.
B) Na quarta estrofe, a prosopopeia destaca a exuberância e a beleza da natureza, evidenciando um lugar de destaque no nacionalismo do eu lírico.
C) A participação dos papagaios nas cenas poéticas intensifica o ritual repetitivo do rito europeu, pouco compreendido pelos homens e mulheres nus.
D) A palavra “papagalorum” aproxima-se semanticamente da expressão “dizer uma coisa sem fim” e aborda criticamente o processo de aculturação.

Gabarito: A

A (incorreta) O poema não apresenta tom solene, mas satírico. B (correta) A madrugada, o morro, o rio adquirem atributos emotivos típicos do ser humano, por isso a personificação. C (correta) Os papagaios por serem animais que reproduzem os sons que ouvem, representam o a repetição do rito que obviamente não foi compreendido pelos nativos. D (correta) “Papagalorum” é uma palavra latina que significa “dos papagaios”, ilustra o uso da língua romana no processo litúrgico e de aculturação. 

QUESTÃO 12
Sobre o poema A primeira missa, de Cassiano Ricardo, e a tela Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, todas as alternativas abaixo estão corretas, EXCETO
A) A tela de Victor Meirelles dá destaque às intenções colonialistas do europeu, que podem ser sintetizadas em oferecer fé, lei e rei ao povo nativo.
B) As duas obras destacam a solenidade e a importância da primeira missa como elemento fundador da cultura brasileira.
C) O poema dessacraliza o rito cristão, tratado com criticidade nos versos, usando o papagaio repetidor como símbolo de irreverência e humor.
D) A tela e o poema reproduzem dois impulsos nacionalistas da nossa história: o primeiro submete o índio ao gosto europeu; o segundo revê criticamente o passado colonialista.

Gabarito: B
A (correta) A tela de Meireles procurou reproduzir a descrição da Carta de Caminha que, obviamente, ressalta o intento colonialista, assinalado pela dominação real e clerical. B (incorreta) Não há solenidade no poema, como já explorado na questão 11, o poema traz uma releitura crítica do processo de catequização. C (correta) O humor, a irreverência e a crítica estão no poema em seu conjunto, sobretudo na imagem do papagaio. D (correta) A tela de Meirelles é uma composição romântica que enaltece o aspecto nacionalista; enquanto o poema de Cassiano é uma composição modernista, de viés crítico, aos moldes da Poesia Pau-Brasil, de Oswald de Andrade. 

QUESTÃO 13
Leia o fragmento abaixo, extraído de Cartas chilenas, de Tomás Antônio Gonzaga:

[...]
Ora pois, doce amigo, vou pintá-lo
da sorte que o topei a vez primeira;
nem esta digressão motiva tédio
como aquelas que são dos fins alheias,
que o gesto, mais o traje, nas pessoas
faz o mesmo que fazem os letreiros
nas frentes enfeitadas dos livrinhos,
que dão do que eles trazem boa ideia.
[...]

Sobre o livro Cartas chilenas, de Tomás Antônio Gonzaga, e sobre o filme O Aleijadinho, de Geraldo Pereira dos Santos, é INCORRETO afirmar:
A) O poema foi escrito para satirizar as arbitrariedades de um governador da Vila Rica Colonial.
B) As narrativas, com linguagens específicas, representam um importante momento da evolução histórica do Brasil.
C) O poeta vale-se de textos históricos para criar uma poesia de inquestionável valor documental.
D) O título do poema é uma simulação do autor para deslocar de Vila Rica os acontecimentos daquele momento histórico.

Gabarito: C
A (correta) O poema de Tomás Antônio Gonzaga satiriza a figura de Cunha de Meneses, governador de Vila Rica no século XVIII. B (correta) Tanto o poema, quanto o filme trazem riquíssimas informações acerca da história oficial brasileira. C (incorreta) As “Cartas Chilenas” são composições coerentes com o momento histórico de sua produção, por isso as referências intertextuais são importantes; entretanto, o texto, por ser literário, é permeado de funções emotivas e poéticas, isto é, possui linguagens metafóricas; dessa forma, não é um poema de valor documental, mas, sim, literário. D (correta) Ao intitular a sua produção de “Cartas Chilenas”, Gonzaga atribui um falseamento em seu texto, pois se trata de Minas Gerais; no texto, os nomes de lugares e pessoas foram substituídos por pseudônimos. 

QUESTÃO 14
Texto I – Primeira missa no Brasil, Victor Meireles (1861).

Texto II – A primeira missa no Brasil, Cândido Portinari (1948).

As obras Primeira missa no Brasil, de Victor Meirelles, e A primeira missa no Brasil, de Cândido Portinari, são pinturas produzidas sobre o mesmo tema e em diferentes momentos da história brasileira. As telas podem ser consideradas narrativas da primeira missa no Brasil e apresentam perspectivas, planos e personagens diferenciados. Após a leitura comparativa de ambas, assinale a alternativa INCORRETA.
A) Os índios ocupam o primeiro plano da tela de Victor Meireles, cuja intenção era valorizar a cultura indígena e o encontro amigável dos europeus com os nativos.
B) A cruz e o altar estão centralizados nas duas telas, evidenciando o domínio da cultura e da religiosidade europeias na terra descoberta.
C) A tela de Victor Meirelles destaca a natureza e os indígenas como espécies de margens que coroam o europeu conquistador, centralizado na pintura.
D) O painel de Cândido Portinari retrata o rito devocional da missa cristã, mas omite o indígena, o que destaca sua desvalorização na cultura contemporânea.

Gabarito: A
A (incorreta) Apesar de haver um destaque dos índios na tela de Meirelles, não há intenção de valorizar a cultura indígena, pelo contrário, através da Missa, ressalta-se a cultura lusitana. B (correta/“ressalva”) Na tela de Meireles, a cruz está explicitamente centralizada e evidencia a religiosidade europeia; na tela de Portinari, não há a cruz explícita, ela foi suprimida; mas há o altar centralizado, com a mesma intenção de ressaltar a religiosidade europeia. Sendo a obra de Portinari uma tela que utiliza técnicas cubistas, o que se pode perceber é uma desconstrução da imagem da cruz que pode ser percebida nos elementos geométricos da tela. A questão, portanto, pode gerar uma ambiguidade, pois o leitor pode entender que existe “cruz e altar” distinguidos nas duas telas; e esse entendimento estaria incorreto. C (correta) No centro da tela de Meirelles, há destaque para os lusitanos e a celebração eucarística; enquanto a imagem brasileira (natureza e índio) funcionam como uma espécie de moldura para a imagem. D (correta) Portinari faz uma releitura crítica da tela de Meirelles, retirando o índio, como uma forma de crítica ao processo de catequização. 

QUESTÃO 15
Leia o fragmento da obra O pagador de promessas, de Dias Gomes:

PADRE
Que ninguém agora nos acuse de intolerantes. E que todos se lembrem das palavras de Jesus: “Porque surgirão falsos Cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam a muitos” (GOMES, 2008, p. 128).

Sobre a obra O pagador de promessas, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO
A) A inserção da capoeira, no terceiro ato, intensifica o ritmo e a tensão narrativos.
B) O desfecho da narrativa possibilita a aproximação de Zé-do-burro ao Cristo crucificado.
C) O caráter polifônico da obra é evidenciado, entre outras coisas, nas expressões do personagem Galego.
D) Zé-do-burro é a personificação de um falso profeta que tenta enganar os fiéis católicos.

Gabarito: D
A (correta) A dinamicidade do drama ganha contornos após a atuação dos capoeiras na trama. B (correta) Ao ser colocado em cima da cruz em posição análoga a Cristo transmite o seu sacrifício para cumprir o seu propósito. C (correta) Sendo teatro, várias são as vozes que ressoam no enredo da peça. D (incorreta) Apesar de populares atribuírem a Zé uma imagem messiânica, ele é apenas um humilde homem da roça que anseia pagar sua promessa. 


Publicado por Márcio Adriano Moraes em 23/11/2015 às 16h49
 
23/11/2015 10h21
PAES 2ª ETAPA/2015 - Questões com Gabarito Comentado

PAES 2ª ETAPA – 2015 
Prova: 22 de novembro de 2015
Questões com Gabarito Comentado​

QUESTAO 11
Leia atentamente o trecho retirado da peça teatral O demônio familiar, de José de Alencar.

EDUARDO: Por que, minha irmã? Todos devemos perdoar-nos mutuamente; todos somos culpados por havermos acreditado ou consentido no fato primeiro, que é a causa de tudo isto. O único inocente é aquele que não tem imputação, e que fez apenas uma travessura de criança, levado pelo instinto da amizade. Eu o corrijo, fazendo do autônomo homem; restituo-o a sociedade, porém expulso-o do seio de minha família e fecho-lhe para sempre a porta de minha casa. (A Pedro) Toma: é tua carta de liberdade, ela será a tua punição de hoje em diante, porque as tuas faltas recairão unicamente sobre ti; porque a moral e a lei te pedirão uma conta severa de tuas ações. Livre, sentirás a necessidade do trabalho honesto e apreciarás os nobres sentimentos que hoje não compreendes. (Pedro beija-lhe a mão)
AZEVEDO: Mas agora, por simples curiosidade, diz-me, Gamim, que interesse tinhas em desfazer o meu casamento?
PEDRO: Sr. moço Eduardo gosta de sinhá Henriqueta!
AZEVEDO: Ah!... bah!...
EDUARDO: Sim, meu amigo. Eu amo Henriqueta e para mim esse casamento seria uma desgraça; para o senhor era uma pequena questão de gosto e para seu pai um compromisso de honra. Hoje mesmo pretendia solver essa obrigação. Aqui está uma ordem sobre o Souto; O Sr. Vasconcelos nada lhe deve.
VASCONCELOS: Como? Fico então seu devedor?
EDUARDO: Essa dívida é o dote de sua filha.
HENRIQUETA: Oh! Que nobre coração!
EDUARDO: Quem mo deu?
HENRIQUETA: Sou eu que sinto orgulho em lhe pertencer, Eduardo.

(O demônio familiar, José de Alencar.)

Sobre a peça, é INCORRETA a alternativa:
A) A atmosfera da classe burguesa do século XIX é apresentada em tonalidades românticas.
B) Ideologicamente subjaz a ideia de que a escravidão não é tão maléfica, e que a relação entre patrões e escravos é cordial.
C) O papel conferido à mulher representa a subalternidade e a submissão características do patriarcalismo burguês.
D) A história dramatiza as relações familiares em que o escravo é recompensado com a alforria, em paga de seus serviços domésticos.

Gabarito: D

A (correta) Essa alternativa se justifica pelo próprio estilo literário do qual José de Alencar é representante, o Romantismo. B (cordial) O escravo Pedro se apresenta como um “membro” da família, conversa segredos com seus senhores, participa de momentos familiares; as ações de Pedro, que causam desconforto entre seus donos, não foram reprimidas com castigos corporais. C (correta) A personagem Henriqueta no fragmento deixa sua subalternidade evidente quando diz que sentirá orgulho em pertencer a Eduardo. D (incorreta) A carta de alforria, como está explícito no fragmento, é a punição do escravo, não sua recompensa; ele só recebe sua liberdade depois de ter realizado ações que prejudicassem seus senhores. 

QUESTAO 12
Leia o fragmento extraído do romance O seminarista, de Bernardo Guimarães.

“Ah, celibato!... Terrível celibato!... Ninguém espera afrontar impunemente as leis da natureza! Tarde ou cedo, elas têm seu complemento indeclinável, e vingam-se cruelmente dos que pretendem subtrair-se ao seu império fatal!...”.
(O seminarista, Bernardo Guimarães.)

O fragmento acima e o livro como um todo expressam a seguinte conclusão, EXCETO
A) Na tentativa de denunciar o celibato religioso, o autor compõe um drama de amor romântico não correspondido.
B) O romance, considerado de tese, representa a vitória dos impulsos humanos sobre as leis sociais.
C) O autoritarismo paterno e a hipocrisia dos dogmas religiosos são objetos de crítica do romance.
D) A diferença de classes entre os amantes aparece também como argumento das críticas que constam do enredo do livro.

Gabarito: B

A (correta) A denúncia do celibato é um dos principais temas do romance; o amor não correspondido se refere à união de Eugênio e Margarida que não se realizou por imposições paternas; o que acarretou o fim trágico da história. B (incorreto) O romance de Alencar, de fato, ensaia um romance de tese; entretanto não há a vitória dos impulsos humanos, mas sim a vitória das leis sociais, já que a vontade dos pais se sobrepôs ao desejo do filho. C (correta) A obra pode ser sintetizada com esses dois temas: autoritarismo paterno, que obriga filho a se tornar padre, e a crítica aos dogmas religiosos, mais especificamente o celibato, que priva o homem de seu instinto humano de concretização de sua sexualidade. D (correta) Uma das razões apresentadas pelos pais do protagonista para a não aceitação de um possível matrimônio é justamente a condição social inferior de dona Umbelina e de sua filha, mulheres que viviam como agregadas na fazenda. 

QUESTAO 13
O trecho que se segue, integrante do romance Esaú e Jacó, de Machado de Assis, revela a disputa entre os gêmeos Pedro e Paulo, que era já sentida pela mãe na fase intrauterina.

De noite, na alcova, cada um deles concluiu para si que devia os obséquios daquela tarde, o doce, os beijos e o carro, à briga que tiveram, e que outra briga podia render tanto ou mais. Sem palavras, como um romance ao piano, resolveram ir à cara um do outro, na primeira ocasião. Isto que devia ser um laço armado à ternura da mãe, trouxe ao coração de ambos uma sensação particular, que não era só consolo e desforra do soco recebido naquele dia, mas também satisfação de um desejo íntimo, profundo, necessário. (Esaú e Jacó, Machado de Assis.)

Assinale a alternativa que NAO corresponde a uma leitura adequada da obra.
A) A briga dos gêmeos representa também, simbolicamente, o momento político do Brasil, que se dividia entre a Monarquia e a República.
B) O amor pela mesma mulher, a opção política oposta e as outras disputas entre os irmãos enfatizam a ambiguidade da narrativa.
C) O narrador apresenta postura irônica, crítica e reflexiva, ao contar a história dos filhos de Flora.
D) A desavença entre os irmãos recompõe alegoricamente a mesma história bíblica dos irmãos Esaú e Jacó.

Gabarito C
Gabarito oficial: D (cabe recurso)

A (correta) Esse é o principal tema da narrativa, Pedro representa a Monarquia, e Paulo representa a República. B (correta) Como o próprio título da obra sugere, a obra é bipolar, metaforizada nas pessoas de Pedro e Paulo. C (incorreta) Os filhos gêmeos, Pedro e Paulo, são filhos de Natividade; Flora é a mulher pela qual os dois se apaixonam. D (correta/incorreta) Esaú e Jacó, biblicamente, foram dois irmãos gêmeos que brigaram pela primogenitura e se tornaram, cada qual, os patriarcas de grandes nações, o primeiro dos edomistas, e o segundo de israelistas; alegoricamente Pedro e Paulo ilustrariam a monarquia e a república. Evidentemente não é a mesma histórica bíblica, já que os dois não brigam pela primogenitura nem encenam as preferências paternas, como se vê na história de Esaú e Jacó; entretanto, considerando sua alegoria, tal afirmação pode ser considerada correta.

QUESTAO 14
Leia o fragmento crítico a respeito da obra Esaú e Jacó.

A novidade está no narrador, humorística e agressivamente arbitrário, funcionando como um princípio formal, que sujeita as personagens, a convenção literária e o próprio leitor, sem falar na autoridade da função narrativa, a desplantes periódicos. As intrusões vão da impertinência ligeira à agressão desabrida. Muito deliberadas, as infrações não desconhecem nem cancelam as normas que afrontam, as quais entretanto são escarnecidas e designadas como inoperantes, relegadas a um estatuto de meia-vigência, que capta admiravelmente a posição da cultura moderna em países periféricos. Necessárias a essa regra de composição, as transgressões de toda sorte se repetem com a regularidade de uma lei universal. A devastadora sensação de Nada que se forma em sua esteira merece letra maiúscula, pois é o resumo fiel de uma experiência, em antecipação das demais regras ainda por atropelar. Quanto ao clima artístico de época, este final em Nada, é uma réplica sob outro céu, do que faziam os pós-românticos franceses, descritos por Sartre como os ‘cavaleiros do não-ser’. (SCHWARZ, 2004, p. 9).

Assinale a alternativa INCORRETA, tomando por base o fragmento acima e a leitura do livro.
A) A obra machadiana, por estar em consonância com o clima artístico da época, apresenta um narrador que julga os personagens segundo a ótica da moral burguesa do século XIX.
B) O narrador permite-se intrometer no discurso narrativo, no qual deixa evidente sua visão cética, crítica e debochada.
C) O niilismo acentuado marca as relações entre os personagens, que atuam conforme as regras de uma sociedade complacente com a classe dominante e excludente no tocante aos menos favorecidos.
D) A mistura entre a esfera privada e a pública permite inferir que há, no romance, certo grau de determinismo, visto que a ação e a reação de alguns personagens são pautadas pela influência do meio.

Gabarito: A
A (incorreta) Mesmo publicada no início do século XX, a obra traz heranças realistas; sendo assim, o narrador foge à ótica moral burguesa, típica do romantismo; assumindo uma visão denunciativa e crítica das relações sociais burguesas. B (correta) O narrador participa da história, ora se interagindo com as personagens, ora se afastando dos acontecimentos para posicionar criticamente ante os fatos. C (correta) O niilismo consiste no aniquilamento das relações entre os personagens, os quais são vistos por uma ótica negativa; o jogo de interesses, o olhar depreciativo e apreciativo, dependendo da condição social, está presente nas interações sociais do enredo. D (correta) Para ilustrar essa alternativa, basta atentar-se para os posicionamentos políticos que se alternam, numa espécie de “dança”, que se deve acompanhar para se “tirar” proveito da situação.

QUESTAO 15
Leia atenciosamente o trecho introdutório da obra Contos gauchescos, de João Simões Lopes Neto.

Patrício, apresento-te Blau, o vaqueano.
− Eu tenho cruzado o nosso Estado em caprichoso ziguezigue. Já senti a ardentia das areias desoladas do litoral; já me recreei nas encantadoras ilhas da lagoa Mirim; fatiguei-me na extensão da coxilha de Santana; molhei as mãos no soberbo Uruguai; tive o estremecimento do medo nas ásperas penedias do Caverá; já colhi malmequeres nas planícies do Saicã, oscilei sobre as águas grandes do Ibicuí; palmilhei os quatro ângulos da derrocada fortaleza de Santa Tecla, pousei em São Gabriel, a forja rebrilhante que tantas espadas valorosas temperou, e, arrastado no turbilhão das máquinas possantes, corri pelas paragens magníficas de Tupaceretã, o nome doce, que no lábio ingênuo dos caboclos quer dizer os campos onde repousou a mãe de Deus...
(Contos gauchescos, J. Simões Lopes Neto.)

A partir da leitura da obra, assinale a alternativa INCORRETA.
A) O vaqueano assume diferentes posturas nas diferentes histórias que narra, e a voz narrativa alterna-se, ora na primeira, ora na terceira pessoa do discurso.
B) O vaqueiro Blau Nunes narra as histórias por meio do dialeto do gaúcho dos pampas, sem as influências da língua culta portuguesa, podendo, assim, constituir-se o primeiro exemplar de narrativa regionalista brasileira.
C) Nas narrativas, evidencia-se um profundo apreço à paisagem natural, aos animais, que interagem muito proximamente com o humano, e um esforço em celebrar o espírito aguerrido do habitante dos pampas.
D) As histórias narradas por Blau Nunes dividem-se naquelas em que ele participou efetivamente, constituindo-se narrador-personagem, e em outras que ele presenciou ou ouviu falar.

Gabarito B
A (correta) O narrador de todos os contos é Blau Nunes que ora participa ativamente das histórias que conta (primeira pessoa), ora relata os acontecimentos testemunhados ou ouvidos por ele (terceira pessoa). B (incorreta) De fato, a marca do dialeto gaúcho é o mais destacado na narrativa de “Contos gauchescos”, mas não se pode dizer que está destituída da língua culta portuguesa, nem tão pouco é o primeiro exemplar de narrativa regionalista brasileira, que possui seus traçados iniciais significativos com os escritores românticos do século XIX. C (correta) Todo o espaço dos pampas, natureza, animais e homens se mesclam num harmônico cultural. D (correta) Essa alternativa encontra sua correspondência na letra “A”.


Publicado por Márcio Adriano Moraes em 23/11/2015 às 10h21



Página 10 de 34 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Ler-se(r) R$25,00 Trovaecia R$20,00 assim alado R$20,00
Enlace R$10,00 Via Crucis R$20,00 Genuíno R$20,00
A palavra-vida de um corpo quedo: uma leitura... R$20,00 Ceifando vidas e semeando letras R$15,00 Passaportes: viagens guiadas por Lygia Fagund... R$15,00
O humano insano e as palavras do infante em G... R$15,00 A cor do subúrbio em Clara dos Anjos R$15,00 A cor negra da canção dos anjos R$15,00
Estudo Sólido de Literatura R$15,00 Gêneros Textuais: no cotidiano, no vestibular R$25,00 Crepúsculo de arame R$25,00
Vende-se amor R$25,00 Apenas rascunhos R$35,00 29º Salão Nacional de Poesia Psiu Poético R$10,00
Os 50 melhores Sonetos do 7º Festival de Sone... R$10,00 5º Prêmio Literário de Poesia Portal Amigos d... R$10,00 XVII Prêmio PMMG de Poesia 2015 R$10,00
Antologia Jubileu de Ouro da Unimontes: prosa... R$10,00 Antologia Psiu Poético 2010: cinepoesia R$10,00 Antologia do 21º Psiu Poético: montesclarosci... R$10,00
Antologia do 23º Psiu Poético: a invenção dos... R$10,00 Poetas de uma só Língua R$10,00 A Deusa das Letras: Centenário de Nascimento ... R$20,00
Psiu Poético + 25: 26º Salão Nacional de Poes... R$10,00 Psiu Poético 25: 01 Quarto de Século do Salão... R$10,00 De todas as cores: 24º Salão Nacional de Poes... R$10,00